quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

730 DIAS!!!!!!!

No dia 6 de janeiro de 2010, às 8:40h de uma quinta-feira ensolarada desembarca no Aeroporto Internacional Luís Eduardo Magalhães, um mineiro de 28 anos de idade portando uma mochila com seu computador STI e uma mala com uns aproximados 18 kg. Além disso têm em mãos um endereço, um número telefônico e um número de ônibus para pegar. No ponto percebe que o carro que poderia pegar demora muito para retornar e acaba descobrindo que depois de pedir algumas informações o Micro-ônibus vermelho, com ar condicionado cheio de "gringos" o levaria ao seu local de destino.

Foto: Guill Fonseca
Na saída do aeroporto, lembra de quando veio em um congresso em 2008, reconhecendo o caminho do bambuzal e o avião de enfeite na rotatória. Durante o trajeto ele pensou em "N"coisas que aconteciam em sua vida, sendo que de vez ou outra dividia seus pensamentos com a beleza que constava naquele caminho beira mar. Ao descer do ônibus, rapidamente identificou a rua na qual encontrava a pensão que iria se hospedar. Não foi atendido, e ficou uns 40 minutos a esperar na porta. Depois conseguiu contato com a primeira pessoa na cidade que seria seu companheiro por determinado tempo. Mais um morador da pensão, que vendo a situação em que se encontrava, foi educado e deixou guardar sua mala e mochila, para poder sair para almoçar e comprar um chip com prefixo 71.

Conheceu seu quarto, o professor no qual dividira os aposentos por 5 meses, e os outros integrantes daquela que seria sua "família" naquela cidade. Estava ansioso para chegar o tão esperado dia 11 de janeiro, data na qual iniciou seus trabalhos. durante esse tempo, conheceu pouca coisa, mas teve o prazer de caminhar da sua casa até o Cristo no Bairro da Barra, passando pelo Corredor da Vitória, Ladeira, Porto e Farol da Barra. Acordava cedo, 5:15h para poder pegar o ônibus vazio e não correr o risco de chegar atrasado por conta de engarrafamento. Chegava na instituição quase 7h, tomava café, lia alguma coisa antes de começar seus afazeres. Às 18h ia para o refeitório e quase as 19h iniciava seus estudos até às 22h, horário que lanchava e saía em disparado para o ponto de ônibus para esperar o carro das 22:30h. Às 23h estava em casa, tomava banho, falava um "oi" para todos e deitava por volta das 23:30h. No outro dia o ciclo se repetia...

Foto: Guill Fonseca
Conversas e conselhos se passaram e chegou o dia de partir. Sua primeira mudança, para um local mais próximo do trabalho, já que sua rotina estava estressante, e um descanso maior era necessário. Dessa vez chamou um táxi, já que agora um ventilador, travesseiro, livros e poucas roupas já faziam parte do seu patrimônio. Outros conhecidos, outra rotina, outra vida. A realização do "seu lugar" foi grande, porém não teve com quem dividir da forma que mais queria. O tempo passou, e outra oportunidade de mudança surge. Agora o táxi era desnecessário, possuía seu próprio veículo de locomoção, que o acompanha até hoje. 

Foram necessárias 3 viagens, mas pouca arrumação. Local que reside até hoje, está cada dia mais com sua cara. A necessidade de outros móveis cresce a cada semana, porque suas roupas já não cabem mais do lado esquerdo do guarda-roupa, os tênis do lado direito devem sair para algum lugar, os livros e papéis guardados também. Deseja que suas visitas tenham conforto, além de poder desfrutar do seu recanto.

Após 730 dias nessa cidade, estou sentado com outro computador, outras roupas e vendo outras coisas que não estavam nos meus planos quando aqui cheguei.

Outras pessoas entraram e outras saíram da minha vida. Momentos, lugares, situações passaram e outras estão por vir. Sinceramente nesse 2012 não sei o que desejar... Acho que nada a desejar, somente coisas a cumprir!

Que venha outros N dias...

Bjos e inté

4148

4 comentários:

  1. Dias melhores se Deus quiser mano!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Sim Rafael... Sempre!

      Abraço e inté

      Excluir
  2. Nomades...Usualmente são os povos do tipo caçadores-coletores ou pastores, mudando-se a fim de buscar novas pastagens para o gado, quando se esgota aquela em que estavam.... ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As metáforas estão aumentando hehehe

      Abraço e inté

      Excluir